Apresentação

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Convidado - Rodrigo Cicchelli


Rodrigo Cicchelli


Professor Titular do Departamento de Composição da Escola de Música da UFRJ, Rodrigo Cicchelli nasceu no Rio de Janeiro em 9 de julho de 1966. 
Estudou no Colégio Santo Inácio de 1973 a 1983. Graduou-se em Composição Musical pelo Instituto Villa-Lobos da Unirio de 1984 a 1990, tendo sido também aluno de César Guerra-Peixe na Escola de Música Villa-Lobos de 1985 a 1987 e de Hans-Joachim Koellreutter em aulas particulares de 1987 a 1988. Realizou Doutorado em Composição Musical na University of East Anglia na Inglaterra de 1991 a 1996 como bolsista da CAPES sob a orientação de Denis Smalley e seguiu o Cursus de Composition et d’Informatique Musicale do IRCAM em Paris de 1995 a 1997 como bolsista do governo francês. Recentemente, realizou a Graduação em Flauta Transversa no Instituto Villa-Lobos da Unirio de 2010 a 2014 e realizou um pós-doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Música da Unirio no segundo semestre de 2015, onde desenvolveu investigação em torno do repertório brasileiro para flauta e recursos eletroacústicos. 
Recebeu diversos prêmios e distinções nacionais e internacionais, tais como: 1º Prêmio no Concurso pelo centenário de Heitor Villa-Lobos (UFRJ, 1987), Prêmios e Menções Honrosas nos Concursos Internacionais Luigi Russolo (Itália, 1993-94-95), 1º Prêmio na Tribuna Internacional de Música Eletroacústica da Unesco (Finlândia, 1994), Bolsa RD do CNPq para atuar no PPGM do Instituto Villa-Lobos da UNIRIO (1997-98), Bolsa do Programa de Bolsas RioArte (1999), Prêmios dos Programas de Apoio à Pesquisa ALV1999 e ALV2001 (FUJB/UFRJ), Patrocínio do Programa Petrobras Cultural (2006), Residência Artística no GMEM de Marselha (França, julho de 2008), Encomenda Funarte (2012) e convite para Residência Artística no CMMAS em Morelia (México, 2017).
Além de suas atividades acadêmicas e artísticas, Rodrigo Cicchelli produz e apresenta desde outubro de 2010 um programa radiofônico semanal (Eletroacústicas) dedicado à difusão do repertório brasileiro e internacional, que vai ao ar toda quarta-feira à meia-noite pela MEC FM (99.3 MHz).

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Convidados - Andrea Ernest Dias



Andrea Ernest Dias


Flautista da Orquestra Sinfônica Nacional–UFF, integra ainda os grupos Trio 3-63, Banda Ouro Negro, Carlos Malta & Pife Muderno, Banda de Câmara Anacleto de Medeiros, Orquestra Pixinguinha e Quinteto Pixinguinha. Participa regularmente das Bienais de Música Brasileira Contemporânea como solista e camerista convidada. Participa como flautista convidada na Temporada 2016 do Abstrai Ensemble.
Doutora em Música pela Universidade Federal da Bahia, é autora do livro Moacir Santos, ou os Caminhos de um Músico Brasileiro (Edições Folha Seca/ CEPE), derivado de sua tese sobre o compositor. É idealizadora e diretora artística do Festival Moacir Santos.
Como solista, lançou os CDs Muacy-Trio 3-63 (Sambatown, 2014), Em torno de Villa-Lobos (Fina Flor, 2010),  Choros Amorosos (Fina Flor, 2010), Trio 3-63 (Sambatown, 2009) e Andrea Ernest Dias - flauta e Tomás Improta – piano (Biscoito Fino, 2005).
Participou de premiados títulos da discografia brasileira e sua flauta é ouvida em gravações para Caetano Veloso, Chico Buarque, Moacir Santos, Baden Powell, Guinga, Edu Lobo, Cássia Eller, Rosa Passos, Milton Nascimento, Dona Ivone Lara e Zé Kéti, entre outros artistas da MPB.

Direção e idealização do evento - Sérgio Barrenechea



Sérgio Barrenechea


Sérgio Barrenechea nasceu em Brasília, iniciando seus estudos musicais na Escola de Música de Brasília. Concluiu seu bacharelado em flauta na Universidade de Brasília e seu mestrado no Boston Conservatory, EUA. Realizou seu doutorado na University of Iowa, EUA, onde teve oportunidade de se apresentar em master-classes de renomados flautistas como Julius Baker, Walfrid Kujala, Carol Wincenc e Keith Underwood. Atuou como solista com o La Fosse Baroque Ensemble, a Orquestra Filarmônica de Goiás, a Orquestra Jovem de Brasília, a Orquestra Sinfônica de Goiânia e a Orquestra de Câmara Goyazes. Foi primeiro flautista da Orquestra Filarmônica de Goiás e atuou como músico convidado da Orquestra do Teatro Nacional Cláudio Santoro, da Cedar Rapids Symphony Orchestra e da Orquestra Sinfônica Brasileira. Participou do corpo docente de várias edições do Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília (2002 a 2005 e 2007), do 25º Festival de Música de Londrina (2005), do Festival "Inverno em Festa" em Palmas – Paraná (2006), do Festival de Música de Câmara de Caxias do Sul (2008) e do 21º Inverno Cultural da UFSJ (2008). Com sua esposa, a pianista Lúcia Barrenechea, forma, desde 1989, o Duo Barrenecheadesenvolvendo um intenso trabalho camerístico com a formação flauta e piano. Desde 2005, Sérgio Barrenechea tem atuado intensamente como flautista do Quinteto Brasília, em diversas apresentações, incluindo uma tour pelo Prêmio FUNARTE de Circulação de Música de Concerto de 2006. Foi professor da Universidade Federal de Goiás e professor convidado da Universidade de Brasília. Atualmente, é professor adjunto de flauta transversal no Instituto Villa-Lobos/UNIRIO, onde também atua no Programa de Pós-Graduação em Música (mestrado e doutorado). Gravou os seguintes Cds: Momentos em Paris com o Duo Barrenechea (2008), Quinteto Brasília – Brincadeira a Cinco (2009) e o Cd Triplo A Música para Flauta de Francisco Mignone (2010) com apoio da FAPERJ.

Convidados - Laura Tausz Rónai



Laura Tausz Rónai


Flautista, formou-se em Licenciatura em Música pela UNIRIO e em Flauta pela State University of New York. Obteve título de mestrado na City University of New York e de doutorado em Práticas Interpretativas na UNIRIO. Ministrou cursos no Real Conservatório Superior de Madrid e, nos EUA, nas universidades de Rutgers e Princeton. Visitou a Inglaterra, a convite do British Council, e tocou recitais nos EUA e na Europa. Tocou em duo com a pianista Ruth Serrão e com a cravista Sula Kossatz, com quem integra os grupos de câmara Sine Nomine e Re-Toques. Escreve para as revistas norte-americanas Early Music America, Flute Talk e Fanfare, além de publicar artigos regularmente nas principais revistas de música do Brasil. Na UNIRIO é responsável pela cadeira de flauta transversal, além de ser professora do Programa de Pós Graduação em Música.  De 2006 a 2010 foi chefe do Departamento de Canto e Instrumentos de Sopro da mesma instituição, e é coordenadora da Orquestra Barroca da UNIRIO.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Inscrições no 1º Encontro Carioca de Flautas



INSCRIÇÕES PARA O 1º ENCONTRO CARIOCA DE FLAUTAS


Estão abertas as inscrições para participação como executante nas masterclasses e nos 4 mini-concertos durante o 1º Encontro Carioca de Flautas no período de 30 de setembro a 14 de outubro de 2016. Veja mais detalhes na programação As demais participações como ouvintes podem ser feitas a partir de 30 de setembro até o inicio de cada atividade.

Para maiores esclarecimentos, entre em contato por encontroflautacarioca@gmail.com.


Inscreva-se aqui!

Convidados - Trio Capitu



Trio Capitu


A riqueza da musicalidade, os ritmos e melodias se unem à performance do Trio Capitu – grupo instrumental de formação original e singular: flauta, oboé e fagote. Fundado em 2012, o trio vem acumulando reconhecimento de público e de crítica. Indicado ao 27o Prêmio da Música Brasileira na categoria “Revelação”, o grupo também foi escolhido para se apresentar na programação oficial de abertura das comemorações dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Por dois anos consecutivos foi selecionado no Prêmio Funarte de Concertos Didáticos, levando suas apresentações a escolas da rede pública de ensino e, entre 2014 e 2015, foi um dos grupos a se apresentar no aclamado projeto social Doutores da Alegria.
No intuito de manter acesa a chama da música de câmara e reavivar a combinação destes três instrumentos, o Trio Capitu percorre não apenas o rico repertório original para esta formação – fortemente solidificado através do Trio-Sonata barroco – mas também os clássicos e modernos, trazendo sua sonoridade para os tempos atuais em novas composições e arranjos especiais que passam por grandes nomes do choro e da música popular brasileira, até as mais variadas correntes da música do mundo. Mantendo-se atento e preservando a seriedade do processo criativo, o trio inova ao experimentar a prática da música em conjunto em ambientes que integrem diferentes formas de expressão artística, unindo plateias habituais àquelas que estão curiosas e sedentas por novos caminhos, ampliando seu trabalho para além das tradicionais fronteiras que separam os universos musicais.
O Trio Capitu desenvolve um trabalho de formação de novas plateias, levando o formato didático e interativo a grupos que ainda encontram dificuldades ao acesso da experiência da música instrumental. O grupo se apresenta com frequência em centros culturais, festivais de inverno, universidades, além de eventos onde se aliam artes como exposições e festas literárias. Performances aplaudidas de pé em teatros como Casa da Ópera (Ouro Preto), Teatro Municipal e Solar do Jambeiro (Niterói), Museu da Música (Mariana), Centro Cultural Sesc Paraty (Paraty), Espaço Guiomar Novaes (Rio de Janeiro), Auditório do BNDES (Rio de Janeiro), Centro Cultural da Justiça Federal (Rio de Janeiro) e Centro Cultural UFSJ (São João del Rei). O trio acaba de gravar do seu primeiro cd, Novos Ventos, fruto de uma parceria entre as artistas e seu público através de uma campanha de financiamento coletivo. Inteiramente dedicado à música brasileira, o disco apresenta composições originais dedicadas especialmente ao grupo e adaptações de nomes como Alexandre Schubert, Marcos Lucas e Sergio Roberto de Oliveira. O disco faz parte do catálogo do selo A Casa Discos.

Convidado - Marcelo Bonfim


Marcelo Bonfim


Marcelo Bomfim é brasileiro do Rio de Janeiro. Começou seus estudos de música aos onze anos de idade e de flauta transversa aos doze com Carlos Rato e Lenir Siqueira. Tendo ingressado na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, continuou a sua formação com Celso Woltzenlogel. Posteriormente, graduou-se em Regência por essa mesma escola e obteve também o bacharelado em Música Sacra e Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil.Participou de diversos cursos de extensão, como o Curso Internacional de Férias de Teresópolis (1976), Festival de Artes Bahia (1976), Curso de Verão da Academia Chigiana de Siena, Itália, como aluno de Severino Gazzeloni (1980), Curso Internacional de Regência Coral, organizado pelos seminários de Música Pró-Arte, ministrado pelo Prof. Martin Schmidt (1987).
Em 1980 foi selecionado pela VITAE - Sociedade Cultural, Científica e Beneficente, para freqüentar durante dois anos, na qualidade de bolsista, o curso de especialização da Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim, onde estudou flauta com Andreas Blau e música de câmera com Horst Göbel - ambos solistas da dita orquestra - além de ter integrado, como estagiário, a Orquestra Filarmônica de Berlim em concertos dirigidos por Eugen Jochum e Herbert von Karajan. De volta ao Brasil, teve a oportunidade de atuar como camerista, como integrante do Quinteto Villa-Lobos (1985-1989) e como músico de orquestra, na qualidade de flauta- solista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, posto que ocupa desde 1977 até hoje.
Bomfim foi vencedor de diversos concursos de âmbito nacional: o Concurso de Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Brasileira (Rio, 1975), I Concurso Nacional de Flauta (Porto Alegre, 1978), I e II Concursos Sul-América de Música (Rio, 1982 e 1983), onde obteve, entre outros prêmios, um recital no "Brazilian-American Cultural Institute" de Washington, e uma indicação para bolsa de estudos no Conservatóro de Haia, Holanda.
Em março de 1987 participou, como integrante do Quinteto Villa-Lobos, das comemorações do centenário de nascimento de Heitor Villa-Lobos realizadas em Paris, tendo tocado dois concertos naquela cidade. Em 2000, mediante participação em concurso público, foi selecionado para o cargo de primeiro flautista da Orquestra Petrobrás Sinfônica, onde, posteriormente, foi também convidado a exercer a função de membro da diretoria artística, cargo que ocupou até dezembro de 2007. Em julho de 2005, por convite e indicação da mesma orquestra, participou como aluno efetivo das masterclasses ministradas pelo flautista holandês Jacques Zoon, no Festival de Música de Riva del Garda, Italia.Em novembro de 2005, por ocasião das comemorações do "ano do Brasil na França", apresentou-se juntamente com o Conjunto Arcos Brasil e o Conjunto Calíope em várias cidades da França, executando obras representativas do período colonial no Brasil.
Na área teórica, Marcelo Bomfim teve como professores: H. J. Koellreutter (composição e arranjo – 1976-1977); Henrique Morelenbaum (contraponto e fuga – 1989-1990); Murilo Santos instrumentação e orquestração – 1989-1990); Roberto Ricardo Duarte (regência 1990-1992). Sobre seu desempenho como aluno de composição, o professor H. J. Koellreutter declarou: "possui um talento fora do comum no domínio da criação musical, [...] seus trabalhos mostram um espírito livre de preconceitos estéticos e um alto grau de inteligência".

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Convidados - Mário Sève


Mário Sève


Saxofonista, flautista, compositor e arranjador, é integrante e fundador dos quintetos NÓ EM PINGO D´ÁGUA e AQUARELA CARIOCA, com os quais gravou 13 discos, recebeu muitos prêmios e realizou diversas turnês internacionais, incluindo FESTIVAL DE MONTREUX (Suíça, 1994). Integra há 20 anos o grupo de PAULINHO DA VIOLA, de quem é parceiro em choros e com quem gravou quatro cds, dois dvds e realizou muitas turnês nacionais e internacionais, incluindo a apresentação no CARNIEGE HALL (NY, 2012). Foi o primeiro diretor artístico do CENTRO DE REFERÊNCIA DA MÚSICA CARIOCA (RJ, 2007 a 2009). Produziu e dirigiu o festival IOCHORO (RJ, 2000 a 2004). Foi diretor musical e idealizador nos Centros Culturais do Banco do Brasil dos ciclos: MP, A e B — Argentina e Brasil (RJ, 2011), ENCONTROS VIRTUAIS (RJ/DF, 2015), A PAIXÃO SEGUNDO CATULO — um olhar sobre a modinha e a canção brasileira (RJ/BH, 2016). 
Tem ministrado cursos e oficinas musicais pelo Brasil e exterior, incluindo Festival de Itajaí (SC, 2002/2003), Festival de Inverno de Domingo Martins (ES, 2000/2005), Festival de Música de Curitiba (PR, 2009), Encontro de Saxofonistas — Tatuí (SP, 2012), Universidades de Miami, Notre Dame e Chicago (USA, 2004), e Indiana State e Kentucky (USA, 2005) etc. Participou do Festival International de Música de Morelia (México, 2005), do Festival de Choro de Paris e Marselha (França, 2005), do Festival de Lusofonia (Macau–China, 2010), do III Encontro Ibero Americano de Cultura (Santiago do Chile, 1993), do Summer Stage (Central Park–NY, 1994), do Free Jazz Festival (RJ, 1989 e 1990) etc. 
É doutorando e mestre — com a pesquisa FRASEADO DO CHORO (2015) — pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com artigos publicados em congressos, simpósios e revistas. Escreveu o livro VOCABULÁRIO DO CHORO (1999) e coordenou os SONGBOOKs CHORO (2007/2011) e os livros–CDs CHORO DUETOS – ‘Pixinguinha e Benedito Lacerda’. Gravou os CDs BACH & PIXINGUINHA (2001), com Marcelo Fagerlande, CHOROS, POR QUE SAX? (2004), com Daniela Spielmann, PIXINGUINHA + BENEDITO (2005), com David Ganc, o autoral CASA DE TODO MUNDO (2007), e o CD CANCIÓN NECESARIA (2011) e o DVD SAMBA ERRANTE (2016), estes com suas composições junto à cantora argentina Cecilia Stanzione. É parceiro em canções de Chico César, Geraldo Carneiro, Carlo Rennó, Guilherme Wisnik, Mauro Aguiar, Edu Krieger, Pedro Luís e Sérgio Natureza e tem obras gravadas por Monica Salmaso, Roberta Sá, Carol Saboya e Clara Sandroni, entre outros. Atuou como instrumentista ao lado de Ney Matogrosso, Alceu Valença, Ivone Lara, Geraldo Azevedo, Guinga, Toquinho, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Zeca Pagodinho, Moraes Moreira e diversos artistas da MPB.

Convidados - Eduardo Monteiro


Eduardo Monteiro


Professor de flauta na Escola de Música da UFRJ. Atuou como solista com várias orquestras brasileiras e em diversos festivais no Brasil e no Exterior. Ex-flautista do Teatro Municipal do RJ e, como flautista substituto, da Orquestra da Ópera de Stuttgart. Foi professor de flauta em inúmeros cursos pelo Brasil. Estudou flauta na Pró-Arte do Rio de Janeiro, na EM-UFRJ e na Escola Superior de Música em Stuttgart, como bolsista do DAAD. Na Alemanha conta entre seus professores: Klaus Schochow, Aurèle Nicolet e Peter-Lukas Graf. No Brasil seus mestres foram: Carlos Alberto Rodrigues, Norton Morozowicz, Celso Woltzenlogel e Geraldo Moreira.

Convidados - Sammy Fuks


Sammy Fuks


Vem atuando no Brasil e exterior como solista, camerista e regente. Foi vencedor do Segundo Concurso Nacional Jovens Flautistas da Associação Brasileira de Flautistas, Concurso Nacional Werill (São Paulo) e do Concurso para Solista da Orquestra Sinfônica da Universidade de Houston- EUA. Obteve ainda o segundo lugar no Concurso Nacional “Myrna Brown” da Associação Americana de Flautistas em Dallas. Graduou-se na Escola de Música da UFRJ especializando-se posteriormente na Escola Superior de Música de Colônia e Frankfurt. Participou de masterclasses com Aurele Nicolet, William Bennett, Alain Marrion e Felix Renggli entre outros. Na Alemanha foi membro do Ensemble de Música Contemporânea da Escola Superior de Colônia e da Orquestra Sinfônica da Rádio de Frankfurt, com a qual se apresentou na Europa e Japão. Foi solista da orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica da UFRJ e Orquestra Sinfônica da Universidade de Houston. Atuou como flautista convidado da Orquestra de Câmara de Moscou em turnê pelos Estados Unidos. Realizou diversos recitais com a pianista Ângela Lima no Brasil, Alemanha, Estados Unidos e México. Apresentou-se em Berlim na “Copa da Cultura” com Alceu Reis (violoncelo) e Paulo Porto Alegre (violão). Concluiu o curso de mestrado na Universidade de Houston obtendo em seguida a posição de primeira flauta e piccolo da San Antonio Symphony- EUA. Atualmente é flautista da Orquestra Petrobras Sinfônica e Teatro Municipal.

Convidados - David Ganc



David Ganc


Flautista, saxofonista e arranjador. Bacharel em Flauta – UFRJ e em Professional Music – Berklee College of Music, EUA. Doutorando em Práticas Interpretativas – UNIRIO. Professor substituto de saxofone – UFRJ. 5 CDs solo lançados - Baladas Brasileiras, no Brasil e na Europa (1996), Caldo de Cana (2000), David Ganc & Quarteto de Cordas Guerra Peixe interpretam Tom Jobim (2004), indicado para o Prêmio TIM 2005, Pixinguinha + Benedito, com Mário Sève (2005) e seu mais recente lançamento, Noturno - David Ganc interpreta A Música de Câmara de Nivaldo Ornelas (2016). Coautor dos livros/CDs “Choro Duetos – Pixinguinha e Benedito Lacerda Vol 1 e Vol. 2”, com as transcrições dos contrapontos do mestre, Ed. Irmãos Vitale 2010 / 2011. Extenso trabalho como músico de estúdio.

www.davidganc.com

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

PROGRAMAÇÃO


11/11/2016- Sexta-feira

9:00 às 10:00 - Inscrições e Exposição de Produtos
Sala Alberto Nepomuceno

10:00 às 12:00 – Mesa-redonda "Ensino da Flauta no Rio de Janeiro"
Sala Alberto Nepomuceno

13:00 às 13:30 – Mini Concerto
Sala Villa-Lobos

14:00 às 16:00 – Masterclasse – Laura Ronai /UNIRIO
Sala Villa-Lobos

16:00 às 18:00 – Mesa-redonda / Depoimento "Tradição da Flauta Carioca"
Sala Alberto Nepomuceno

18:00 – Concerto de Abertura
Sala Villa-Lobos

12/11/2016 – Sábado 

9:00 às 12:00 – Masterclasse – Odette Ernest Dias
Sala Guerra-Peixe

14:00 às 16:00 - Mesa-redonda – Flautista e Música Popular
Sala Alberto Nepomuceno

16:00 às 18:00 – Masterclasse – Marcelo Bonfim / OPES e OTMRJ
Sala Guerra-Peixe

17:00 às 18:00 – Lançamento de Produtos
Sala Alberto Nepomuceno

18:30 – Concerto
Sala Villa-Lobos

13/11/2016 – Domingo

9:00 às 12:00 – Masterclasse - Eduardo Monteiro / UFRJ
Sala Villa-Lobos

14:00 às 16:00 – Workshop de Manutenção com Adolfo Munõz / AM Flutes, Chile
(cancelado)

16:00 às 18:00 – Mesa-redonda – Flautista multi-instrumentista
Sala Alberto Nepomuceno

18:00 – Concerto
Sala Villa-Lobos

14/11/2016 - Segunda-feira

9:00 às 11:00 – Mesa- Redonda - Flautista compositor
Sala II-303

11:30 às 12:30 – Palestra
Sala II-303

"Entendendo como funciona a flauta, 200 anos depois dos primeiros
estudos de Theobald Boehm"

  • Leonardo Fuks / UFRJ

13:00 às 17:00 – Masterclasse - Sammy Fuks / OPES e OTMRJ
Sala Chiquinha Gonzaga

15:00 às 17:00 – Mesa- Redonda -  Manutenção e Construção
Sala Guerra-Peixe


17:30 – Concerto de Encerramento
Sala Villa-Lobos

Apresentação

      O 1º Encontro Carioca de Flautas, que será realizado de 11 a 14 de novembro de 2016 no Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, tem por objetivo congregar a comunidade ligada à esse surpreendente instrumento, pretendendo abranger todas as possíveis atuações relacionadas, sejam flautistas profissionais, estudantes, técnicos e construtores, professores, incluindo também todas outras atividades relevantes. A programação inclui masterclasses, mesas-redondas, lançamento e exposição de produtos, concertos, shows e muito mais!



As inscrições para participação como executante nas masterclasses e nos 4 mini-concertos se encerraram no dia 14/10/2016. Os interessados em participar participar como ouvintes podem se inscrever até o inicio de cada atividade.

Veja o resultado dos inscritos como executantes nas masterclasses dos professores Laura Rónai, Odette Ernest Dias, Marcelo Bomfim, Eduardo Monteiro e Sammy Fuks    

Inscreva-se aqui para participar do 1o Encontro Carioca de Flautas como ouvinte!

Para maiores esclarecimentos, entre em contato por encontroflautacarioca@gmail.com.

As atividades acontecem na Sala Villa-Lobos, Sala Guerra-Peixe e Sala Alberto Nepomuceno do Instituto Villa-Lobos que está localizado na Av. Pasteur, 436 fundos, Urca. Telefone para contato é (21) 2542-3326.